St. Paul’s Conference aborda o tema Mindfulness

Mindfulness “contribui para um melhor rendimento escolar”

O St. Paul’s School acolheu mais uma conferência no âmbito das St. Paul`s Conferences, desta vez alusiva ao Mindfulness.

Contou com a presença de Albertina Lima de Oliveira, Professora Auxiliar da Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra e Coordenadora do projeto Mindserena, baseado nas abordagens e princípios científicos do Mindfulness.

A abertura da sessão, simbolicamente ao toque do gongo, iniciou com a clarificação de alguns conceitos e factos históricos que associam esta prática a um conhecimento milenar, no âmbito das filosofias contemplativas.

O Mindfulness ganhou, ao longo dos últimos anos, uma sustentação científica, ligada ao funcionamento neurológico, e integrado numa ciência contemplativa. Esta vertente científica apoia o estudo de práticas de transformação do sujeito e de tomada de consciência e autocontrole, contrariando os nefastos momentos de “piloto automático” da nossa mente.

Perante uma plateia de cerca de seis dezenas de pessoas, entre colaboradores, pais e ainda profissionais de outras organizações, a palestrante, Albertina Oliveira, referiu que “precisamos de (re)aprender a estar no momento presente, num estado de recetividade, abertura, curiosidade, foco de atenção e de alerta tranquilo”, para também “adquirir estratégias para perceber e ultrapassar as adversidades”. Vivemos num mundo em que tendemos a “julgar e categorizar as pessoas e atitudes” o que vai condicionar todas as “redes mentais, circuitos integrados do cérebro” construídos em função das vivências e que origina o síndrome de piloto automático.

A prática reiterada e regular do Mindfulness, com efeitos visíveis e quase imediatos, estimula a atividade neuronal em áreas cerebrais específicas, nomeadamente nas que permitem o controle de emoções e a gestão do pensamento abstrato e criativo. De acordo com Albertina Oliveira, “desacelera o processo de envelhecimento e, ao nível do ensino, melhora a funcionalidade cognitiva e a capacidade de gestão das emoções dos alunos”.

Os estudos demonstram que o Mindfulness “contribui para um melhor rendimento escolar, especialmente na matemática e ciências” e interfere positivamente no “comportamento parassocial”.

No momento de partilha de experiências, de clarificação de questões e de reflexão sobre abordagens, Albertina Oliveira mencionou o projeto educativo do St. Paul’s School que tem privilegiado, com sucesso e benefícios visíveis, a inclusão do Mindfulness no seu desenho extracurricular.

Recordamos que, no presente ano letivo, o Colégio estendeu as sessões de Mindfulness ao 1.º Ciclo, enquanto atividade de enriquecimento curricular, integrado no horário dos alunos. Atualmente, no Colégio, o Mindfulness é promovido, semanalmente, desde a Creche até ao 4.º ano de escolaridade.